.

6.5.12

nós

Foto de Po-sol-ona
Quando acordo e penso como seria nos dias corridos, nas manhãs de chuvas e nos dias tediosos, nas manhas cantarolando-qualquer-coisa-que-nos-deixem-felizes-dançando, nos dias de sair pra fotografar as coisas, o mar, as flores, as pessoas, e dos dias que não vão faltar sorrisos das brincadeiras. Assim comigo sempre, no mais simples sentido da palavra. Às vezes é como uma coisa que esta aqui no agora, onipresente. A cada passo ou direção incerta, destino certo ou não. Vive o futuro no presente ou vice-versa. Atendo aos detalhes.  Presente um no outro. Como corpo e alma. Um vício um do outro. Reinventando todo dia o nosso esta/ser um pelo o outro. Um amor mutuo. Ai penso também que a vida baila com a gente, sentir o ritmo e não se perder nele.  Ter essa sutileza e leveza. Porque tudo isso só tem sentido se for nós dois.

Mas se eu te disser que eu quero aprender a
me amar e te amar também ao mesmo tempo?
Você teria tempo? 
Léo Cavalcanti

oração - a banda mais bonita da cidade

14 comentários:

Márcia Azevedo disse...

Amizade, afetos, companhia para todas as horas, conversas infinitas, a melhor dança que já dancei, o calor para aquecer o frio, o abraço para aplacar qualquer distância, pausas e silêncios, saudades, encontros felizes e desejados, passeios na praia, na serra, beijos a luz do luar, ao som da chuva, calma na espera, urgência no reencontro, amor de nos dois.

Claudinha Santos disse...

Porque o amor é belo de qualquer maneira... Ao acordar ou ao dormir é sempre sonho demais.

Lindo Chicooo!!!! Parabéns pelo texto.
Bjs Att

Miriam disse...

Bom dia Chico...

Adorei. Inspirador.
:)

Beijos.

Aline Teles disse...

Obrigada pela sua visita. Espero que volte sempre. Seguindo.

Adorei o texto. Quem não sonha com o tal amor mútuo?

Beijos.

Claudinha Santos disse...

Chicooo.. Escreve mais.
É tudo tão bonito.
Bjs querido!!! =)

@Francisquices disse...

Logo mais. :)

Luiz Alfredo disse...

Queria pensar assim
cantar a vida
fazer poemas
fotografar
mas acordo na solidão
do mundo
meu violão anda meio
abandonado
meus olhos não tem flach
para a vida
e eu já não tenho amada
mas consigo viver
por que a vida
tem que se viver
a poesia é apenas
um jeito de dizer.

Luiz Alfredo - poeta

Tati Lemos disse...

Chico, vc devia escrever mais viu? Só esse teu texto aqui deixou gostinho de quero mais.

Moço, hoje mesmo li um conto do Caio F. onde tinha um professor de piano bem magrinho, que se chamava francisco e seu apelido era Chico, aah soltei uma risada bem alta, por que me lembrei de você. Isso que eu quase nem te conheço.

Beeijo menino

@Francisquices disse...

Pode deixa, saindo daqui a pouco uma atualização aqui no blog. rs

Que conto foi esse? Devo imagina, rs. Ainda mais relacionando com música.

Abraços. :)

@Francisquices disse...

Ainda tem a vida. Enquanto houver ela, ainda existe a esperança.

Marina Sena. disse...

lindo, querido. adorei seu blog.
é assim que me sinto com meu namorado :)

até.
bjo, bjo, bjo....

ps.: já estou seguindo.

@Francisquices disse...

Obrigado, Maria.

Que com que compartilha do mesmo sentimento.

:)

Daiana M.Fernandes disse...

Ai, ai... Que mais posso dizer? Estou aqui... só suspiros!

Estou chegando aqui agora, mas já gostei muito desse lugar.
Não veja como uma cobrança... Escreva mais! Deliciei-me com esse texto e também li o que você escreveu de aniversário. Sua forma de lidar com as palavras é encantadora.

Eu volto. :)

Um terno abraço

@Francisquices disse...

Obrigado, Daiana.

Não vejo como cobrança não, rsrs... Falta mesmo eu atualizar, mas logo mais atualizo, com umas ideias ate pra fazer isso.

Volte sempre, abraços. :)

Postar um comentário